Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

uso externo

uso externo

18
Mai18

Arruda em Lisboa e em Elvas

Ricardo Jorge Pereira

Um dos vários locais/pontos de interesse da cidade de Elvas é a Igreja de Nossa Senhora da Assunção (que foi, nem mais, nem menos, a antiga Sé da cidade).

Que, recorde-se, está classificada como Monumento Nacional.

Diz a ‘placa’ respectiva que identifica este local de culto o seguinte:

 

Construção essencialmente Manuelina traçada pelo Arquitecto Francisco de Arruda, cuja construção teve início em 1517, no mesmo local da antiga e ruinosa matriz de Stª. Maria dos Açougues, sendo aberta ao público em 1537. Em 1570, por bula do Papa Pio V, obteve a proeminência de Catedral. A Capela Mor é de 1749. De salientar a azulejaria dos Séc[s]. XVII e XVIII.

 

Ora, Francisco de Arruda foi o mesmo arquitecto que projectou a Torre de Belém, em Lisboa.

De facto, Lisboa adquiriu, nos séculos XV e XVI, o estatuto de importante plataforma giratória no aspecto comercial, na Europa e no mundo, fruto das viagens marítimas portuguesas e suas ‘consequências’.

Assim, para protecção e defesa da cidade, o monarca D. João II idealizou um plano estratégico que passava por dotar o rio Tejo de estruturas que pudessem permitir controlar o tráfego marítimo e, simultaneamente, detectar a entrada de navios inimigos provenientes do oceano.

Iniciada a sua construção em 1514, a Torre de Belém veio ‘responder’ a estes anseios de maior segurança.

No entanto, após a construção da Fortaleza de São Julião da Barra e do Forte do Bugio, a Torre de Belém começou a assistir à progressiva diminuição da sua função defensiva de Lisboa tendo chegado a servir, por exemplo, como prisão de Estado (e o consequente encarceramento de indivíduos considerados opositores ao poder político vigente) e como ponto de apoio ao estabelecimento e posterior melhoria da rede de comunicações.

Símbolo de Lisboa – e de Portugal –, a Torre de Belém foi, em 1983, classificada como património da Humanidade pela UNESCO (juntamente com o Mosteiro dos Jerónimos).

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D